domingo, 29 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 58

-E você tem o endereço?
-Tenho.
-Pode me passar?
-Posso. - Roberta tirou a sua agenda da mochila e escreveu o endereço, após isso ela destacou a folha e me entregou.
-Obrigada.
-Por que você quer o endereço dela.?
-A sua madrasta causou o maior climão hoje na minha casa.
-Estranho.
-Esqueci de dizer, ela estava conversando com o meu pai no jardim de  casa.
Roberta ficou muito intrigada.
-O que você está pensando? - perguntei para ela.
-Será que eles...
-Eu não duvido disso.
-Então, você já que eles podem estar tendo uma caso.
-Ou já tiveram.
-Não sei.
-Pela reação da minha mãe, sim.
-Pergunta isso para ela.
-Lógico que eu vou perguntar.
-Vamos para sala.

Rehab-Capítulo 57

Me sentei para tomar café.
-Pai, de onde você conhece a Taís?
-Não repete o nome dessa coisa aqui. - minha mãe disse quase explodindo de raiva.
A Alice olhou para Nathaly e tentou não rir.
-Desculpa. Eu não sabia que não podia dizer o nome dela.
Depois da minha pergunta inocente, o clima ficou muito tenso.
-Vocês vão querer uma carona para escola? - meu pai perguntou para mim e para Hilary.
-Não. - eu respondi para ele.
-Eu quero. - a Hilary respondeu.
Tomei meu café. Depois peguei a minha mochila e saí de casa.
Quando estava indo para escola, encontrei o Luca. Como sempre nós não se falamos, ele apenas sorriu como de costume.
Segui o meu caminho sem me preocupar com muito com ele. Uns quinze minutos depois cheguei na escola.
-Demorou. - a Roberta já havia chegado.
-Me responde uma coisa.
-O quê?
-Onde eu posso encontrar a Taís?
-No consultório dela.

Rehab-Capítulo 56

-Fala logo.
-Quer saber. Você vai ficar sem mesada durante três meses.
-Só isso?
-Só.
-Boa noite.
Fechei a porta e deitei.
Ouvi duas pessoas conversando no jardim, abri a janela para ver quem era. Meu pai e a Taís, madrasta da Roberta, estavam conversando.
De onde eles se conheciam?
Fechei a janela e deitei de novo. Agora isso não importava. Tomei o meu remédio e tentei dormir.

Acordei meio atordoada. Sem noção se era dia ou noite, mas o relógio me mostrou que já eram 5:30min.
Resolvi levantar, afinal, perdi totalmente o sono. Tomei um banho e depois voltei para o meu quarto para colocar o meu uniforme.
-Posso entrar?
Virei para ver quem era. Minha mãe estava parada na porta.
-Pode.
-Queria te pedir desculpas por ontem.
-Tudo bem. Não tem problema.
-Vai tomar café.
-Já estou indo.
Fui para cozinha. Todos já estavam tomando café.

sábado, 28 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 55

-O que você quer? - eu perguntei.
-Deixa eu explicar o que aconteceu.
-Não precisa. É melhor eu ficar fora disso.
-Desculpa. Eu estava estressada.
-Sei.
-Deixa de ser infantil.
A Alice me abraçou.
-A mamãe me falou o que está acontecendo com você. - ela disse. - Por que você não me contou?
-Acho que porque eu não quis, é a melhor respostas.
-A educação continua a mesma.
-Não entendo porque vocês só resolveram se preocupar comigo depois que eu fiquei doente.
-Isso não é verdade.
-Mentir não vai adiantar nada.
Entrei no meu quarto e tranquei a porta. Percebi que ela ficou alguns minutos parada em frente a porta, mas depois foi embora.
Estava colocando o meu pijama quando alguém bateu na porta.
-Abre a porta. - era a minha mãe.
Abri a porta, porém fui direto para o banheiro.
-Garota não me deixa falando sozinha.
Escovei os dentes e voltei.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 54

-Tem um carro aqui na frente.
-Será que a minha mãe já chegou?
-Não. Não é o carro dela.
Ela veio até a janela ver o carro.
-Meu pai.
Roberta foi abrir a porta.
-O que você está fazendo aqui?
-Seu pai que pediu. Ele disse que você estava sozinha.
-Mas em nenhum momento que pedi para vocês virem aqui.
-Eu sei disso.
-E onde ele está?
-No carro. Ele não quis corre o risco da sua já ter chegado.
-Ela está chegando. - eu disse.
A mãe da Roberta entrou na sala deixando a Taís assustada.
-Eu já vou indo. - eu disse para Roberta. - Tchau. Boa noite.
-Tchau.
A Roberta me acompanhou até a porta.
-Tchau.
Voltei para casa, o carro do Bernardo estava estacionado.
Entrei em casa.Todos estava na sala assistindo televisão,exceto o meu pai e o Bernardo.
Fui direto para o meu quarto,percebi alguém me seguindo.



terça-feira, 24 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 53

-Já.Tem um ano e meio.
-Por que você nunca contou?
-Acho que pelo mesmo motivo que você.Medo,medo do julgamento das pessoas.
-Pelo menos a gente entende o que cada uma sentiu quando fazia  isso.
-É.
-Tem mais uma coisa.
-O quê?
-A Emanuela sabe de tudo e a todo momento ela me ameaça dizendo que vai falar para escola toda.
-Agora eu entendi porque todo aquele medo.
-Ela fica me chantageando.
-Eu sei do que ela é capaz de fazer.
-As vezes eu só queria sumir,desaparecer.
-Essa não é a melhor solução.
-Eu ouço isso sempre,mas as vezes eu duvido.
Me levantei,dei uma volta na sala,olhei para o relógio que marcava nove e meia da noite.
-O que aconteceu para você ficar tão agitada?
-Eu ainda não tomei o meu remédio.
-Isso está muito visível.
Fui até a janela e vi um carro estacionando em frente a casa da Roberta.


Rehab-Capítulo 52

-Deve ser por causa disso que você é a minha melhor amiga.
-Quando eu te vejo mal,eu me lembro de quando nós viramos amigas.
-Também lembro. - eu disse. - O 5º anos inteiro estava com raiva de você.
-Você foi a única pessoa que me ajudou.
-Tem duas coisa que eu odeio:ser usada e humilhada.Eu não gosto de ver os outros passando por isso.
-E é por isso que você é a minha melhor amiga. - Roberta disse. - Só me responde uma coisa.
-O quê?
-Por que se  auto mutilar?
-É uma coisa meio estranha.Quando eu me cortava eu não queria sentir dor,eu queria me ver sangrar.
-Isso não faz sentindo.
-Pra mim faz.
-Você continua se cortando?
-Não.Faz algum tempo que eu não me corto.Mas é difícil se controlar.
-Eu sei que é difícil se controlar.Eu já passei por isso.
-Você já se auto mutilou?


Rehab-Capítulo 51

-Parece que não deu muito certo.
-É.
Nós ficamos em silêncio durante algum tempo.
-Você nunca foi assim?
-Assim como?
-Tão distante,sozinha,triste.
Deitei ao lado dela.
-Acho que já está na hora de te contar o que está acontecendo.
-Então fala.
Ergui as mangas da blusa de frio.Roberta ficou horrorizada.
-Não acredito no que estou vendo. - ela disse quase chorando. - Agora eu entendi porque mesmo com todo esse calor você está com blusa de frio.Você tem mais alguma coisa para falar?
-Eu estou com depressão.
-Há quanto tempo?
-Um mês e meio,dois meses.
-E você está fazendo tratamento?
-Sim.Também estou tomando remédio.
-Tem uma coisa que você precisa saber.
-O quê?
-Pode contar comigo para o que precisar.

sábado, 21 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 50

Fui avisar a minha mãe que eu iria até a casa da Roberta.
-Mãe estou indo na casa da Roberta.
-Tudo bem.Só não volta tarde.
-Certo.
Saí de casa,mas antes vi a Alice conversando com a Hilary.
Fui para casa da Roberta,que não ficava muito longe,era virando a esquina.
Logo quando cheguei ela abriu a porta.
-Pensei que tinha esquecido de mim.
-Você sabe que não.
-Mas as vezes eu finjo que sim.
-Onde está a sua mãe?
-Ela saiu e deixou a Samira cuidando de mim.
-O que você está fazendo.
-Estou assistindo uns filmes. - ela respondeu. - E por que você me ligou?
-Você é a primeira pessoa que eu procuro quando estou me sentindo sufocada.
-Você me falou isso,mas o que aconteceu?
-A Alice e o meu pai discutiram mais uma vez.
-Mas ela não tinha sumido?
-Sim,mas ela tentou se reconciliar com ele.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 49

-Eu vou para casa.
-Não vai.Eu vou ligar para o Bernardo.
-Não precisa.
A Nathaly pegou o celular e saiu da cozinha.
-O que aconteceu? - perguntei para Alice.
-É melhor você ficar fora disso.
-Tudo bem.
Saí da cozinha e voltei para o meu quarto,no corredor encontrei a Hilary.
-O que aconteceu? - ela me perguntou.
-Não sei. - respondi. - Pergunta para eles,vê se você tem mais sorte que eu.
-Tá.
Ela foi para sala e eu entrei  no meu quarto.
Peguei o meu celular e liguei para Roberta.
-Oi. - ela atendeu o celular.
-O que você está fazendo?
-Nada.
-Posso ir na sua casa?
-Pode.
-Já estou indo.
-Estou te esperando.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 48

-Por que ela resolveu aparecer depois de tanto tempo?
-Ela está te esperando no seu escritório.
Fui para sala e vi o meus pais indo para o escritório.
Tentei seguir ele,mas a Nathaly me segurou.
-Você não tem nada a ver com isso.
O tempo foi passando.Depois de quase uma hora eles saíram do escritório.
Meu pai parecia frio,minha mãe preocupada.Já a Alice estava desesperada,ela chorava muito.
-Se acalma,isso não vai fazer bem para o bebê. - minha mãe disse.
-Eu vou para casa.
-Não nesse estado.
-Vem comigo. - a Nathaly ajudou a Alice,que estava sentada,a se levantar.Olhando as duas juntas,fica quase impossível distinguir uma da outra.
Elas foram para cozinha e eu fui atrás.
-Bebe um pouco de água.
-Não. - ela rejeitou o copo com água.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 47

-Nós paramos em uma lanchonete para comer alguma coisa. - minha irmã respondeu.
-Vocês podiam ter ligado.
-Desculpa.
-O papai já chegou? - perguntei para minha mãe.
-Ainda não. - ela respondeu. - Alice eu preciso conversar com você.
-Está bem.
Elas foram até o escritório do meu pai.
Eu fui para o meu quarto.Precisava tomar um banho,por isso fui para o banheiro.
Precisava relaxar, um banho morno ajudaria.Demorei mais que o necessário, mas foi bom, me acalmou.
Voltei para o meu quarto e troquei de roupa.
Resolvi voltar para sala, quando estava no corredor escutei meu pai chegando.
Me aproximei o máximo que pude da sala para poder escutar a conversa dos meus pais.
-Você tem visita. - minha mãe disse.
-Quem é?
-A Alice.
-O que ela quer?
-Conversar com você.

Rehab-Capítulo 46

-Acho que sim.
-Creio que ele não estava em casa.
-Não.Ele não chegou do trabalho.
-Imaginei.
-Eu fui meio infantil.
-Essa sua visita é por mais alguma coisa ou só isso?
-Tem outra coisa.
-O que é?Posso saber?
-Eu estou grávida.
-Que legal.
-O Bernardo e eu estamos muito felizes.
-A mamãe também vai ficar muito feliz.
-E a Nathaly, a Hilary como elas estão?
-Bem.
Após terminarmos de comer,resolvemos voltar para casa.
Entramos no carro e voltamos.
-A mamãe sabe que você quer se reconciliar com  papai?
-Sabe.Eu contei para ela.
Chegamos em casa em pouco tempo.
Minha mãe estava na sala nos esperando muito aflita.
-Onde vocês estavam?

Rehab-Capítulo 45

-Tudo bem?
-Você sabe que não.
-Vou te levar para casa.
Fomo até a entrada do conservatório,o carro da Alice estava estacionado na rua.
Entramos no carro e ela começou a dirigir.
-Por que você veio? - perguntei para ela. - Você não vem para casa desde que você foi embora.
A Alice encostou o carro em frente a uma lanchonete.
-Vamos comer alguma coisa. - ela disse em quanto saía do carro. - Eu vou poder explicar melhor o que aconteceu.
Desci do carro e entramos na lanchonete.
Nos sentamos e pedimos algo para comer.
-Pode começar a explicar.
-O pai do Bernardo morreu.
-E como ele está?
-Muito mal.
-Mas o que isso tem a ver com a sua brigar com o papai?
-Ele também estava brigado com o pau dele.
-Acho que você ficou com medo de perder o papai.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 44

-Obrigado.
-Vejo vocês amanhã.
Saímos da sala.Fui para minha próxima aula,ele foi embora meio apressado,mas antes sorriu para mim.
Entrei na sala,a professora de canto me recebeu com muita alegria.
-Any,que bom que você voltou. - ela disse.
-Também acho bom.
-A turma está completa.Podemos começar.
A aula começou.
Depois de mais 1:30min a aula acabou.
-Anahy,precisamos marcar as suas reposições.
-Tudo bem.
-Durante dez dias,em dias que você não tem aula.
-Por mim tudo bem.
-Até amanhã.
-Tchau.
Saí da sala e encontrei uma pessoa que eu não via há muito tempo.
-Mamãe disse que eu te encontraria aqui.
-Oi.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 43

Podemos começar? - perguntou o professor.
Podemos. - os seis alunos que estavam na sala responderam.
A aula começou.
Após 1:30min de aula,o professor nos liberou.
-Senhorita Taylor,você fica.
Permaneci na sala,com certeza não seria boa coisa o que ele iria falar.
-Senhorita Anahy Taylor,você está com muitas faltas. - ele disse com a aparência seria. - Para se mais exato são dez faltas.
-Eu posso repor as aulas perdidas.
-Durante dez duas após as duas aulas que você tem.
-Tudo bem.
-Eu poderia repor essas aulas também? - O Luca entrou na sala.
-Você é o aluno novo. - o professor disse olhando a chamada. - Luca Monteiro.
-Sim. - o Luca parecia mais à vontade.
-Pode,afinal,você também não iniciou as aulas conosco.


Rehab-Capítulo 42

Depois de quase 30 minutos,cheguei no conservatório de música onde estudo.
Fui para minha primeira aula,era aula de piano.
Entrei na sala e logo fui recebida pelos meus amigos,eles estavam felizes e ao mesmo tempo preocupados.
-Anahy,que bom que você veio. - o professor disse olhando para mim. - Agora vá para o seu lugar.
Fiz o que ele indicou,fui para para o meu lugar.
O professor estava quase começando a aula quando ouvimos uma batida na porta.
-Pode entrar. - o professor disse.
A porta se abriu,um menino meio acanhado entrou na sala.
-Desculpe pelo atraso. - ele disse ao professor.
-Não tem problema. - disse o professor. - Creio que aquele lugar que está vazio é seu.
O rapaz foi para o seu lugar,que fica ao lado do meu.Ao me ver,ele sorriu.Era o Luca,o que é isso algum tipo de perseguição?

domingo, 15 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 41

-Vamos almoçar? - fiquei tão abobada com o novo vizinho,que não percebi que a Nathaly já havia chegado em casa.
-Sim.Vamos.
O almoço já estava pronto como de costume.
Almocei um pouco rápido,por causa da aula e fui trocar de roupa.
-Por que tanta pressa? - Nathaly perguntou.
-Tenho duas aulas de música.
-Quer uma carona?
-Não precisa.
Fui para o meu quarto e troquei de roupa.
Procurei um várias gavetas e armários o meu material.Achei as partituras em um fichário.Peguei o fichário e fui para aula.
O caminho seria um pouco longo,mas andar me faz bem,me faz pensar.

Rehab-Capítulo 40

Durante todo o caminho nós não conversamos.Nós nunca conversamos durante esse trajeto.
Pouco tempo depois chegamos na minha casa.
-A gente se vê qualquer hora. - Roberta se despediu. - Tchau.
-Tchau.
Fiquei olhando ela desaparecer enquanto virava a esquina.Só depois disso percebi que a casa ao lado da minha,que estava à venda,foi comprada.
Fiquei olhando os novos vizinhos,que estavam saindo do carro e vi que quem iria se o meu vizinho seria o Luca,o guitarrista da banda "Unbroken".
Ele me viu e mais uma vez acenou com a mão e sorriu.
Entrei em casa e comecei a rir feito boba.Como seria ter ele como vizinho?Afinal,a gente nunca se falou,é sempre o mesmo aceno e um sorriso.

Rehab-Capítulo 39

-Não me interprete mal,eu não quis dizer isso.
-Eu sei.
A quarta aula começou.Era aula de biologia.
A aula foi muito chata.
Mais uma aula se passou e mais uma.O sinal tocou e nós fomos liberados para irmos embora.
Mais uma vez o Rafael estava com a cabeça deitada sobre o caderno.
Roberta se aproximou de mim e falou baixinho.
-Agora você começou a se preocupar com o Rafael?
-Acho que sim.
-Por quê?
-Nem eu sei.
-Chega de perder tempo.Vamos. - ela reclamou.
Saímos da sala,mas antes passamos no nossos armários para guardar os livros que ganhamos.
-Agora vamos para casa.
Fomos embora.Saímos da escola e fomos andando até a minha casa.


Rehab-Capítulo 38

-Eu vou fazer. - respondi para ele.
-Eu sei disso,você é a nerd da sala.
-Se é isso que você pensa,tudo bem.
-A sala toda acha isso.
A Bianca empurrou o Leonardo e se aproximou de mim.
-Você vai para aula de música? - Bianca perguntou.
-Vou,você também vai?
-Também.
Ela ficou me olhando preocupada.
-Você vai fazer as duas aulas ou só uma? - ela perguntou novamente.
-As duas.
-Então tá.
Bianca se afastou.
-Cuidado com essa cobra. - Roberta alertou.
-O veneno só faz mal quando você engole.
-Gostei dessa.
-Mas eu ainda não acredito no que você disse.
-Tudo bem.Eu respeito isso.
-Obrigada.
-Amigos respeitam as opiniões  dos outros.

sábado, 14 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 37

-Você duvida dela?
-Eu realmente não acredito nela.
-Eu não entendo com vocês conseguiram se tornar inimigas.
-Ela é falsa,sínica...
-Não acredito nisso.
-É um direito seu.
O sinal tocou e o intervalo acabou.
-Vamos voltar.
Voltamos para sala.Eu não estava nada animada.
-Animo.Só faltam mais três aulas.
-Que ótimo. - eu disse irônica.
Quando a professora de sociologia entrou na sala,todos ficaram desanimados.
A aula foi mais chata do que nós esperávamos,mas depois de 50 longos minutos a aula acabou.
-Turma,não  esqueçam a lição de casa. - a professora disse antes de sair.
-Do que adianta lembrar,se nós não vamos fazer. - o Leonardo se aproximou de mim e disse baixinho.

Rehab-Capítulo 36

-Gostaram do show?
-A melhor parte vai ser quando você sair da minha frente. - Roberta respondeu irritada.
Comecei a rir,mas tentei disfarçar.
-Grossa. - Bianca disse para Roberta.
-Sínica. - Roberta retrucou.
-Vamos parar com isso. - eu disse apartando uma futura briga.
-Eu vou embora.
-Já vai tarde.
Bianca saiu totalmente irritada.
-Só não entendo uma coisa.
-O quê? - Roberta perguntou.
-Se sou eu quem escreve a maioria das músicas deles.Por que eles são assim tão distantes de mim?
-Pergunta para Bianca.
-Já fiz isso.
-E o que ela disse? - a Roberta parecia estar mais interessada na conversa.
-Ela disse que eles são assim,meio tímidos.
-Sei...

Rehab-Capítulo 35

-Você vai comprar o quê? - ela perguntou para mim.
-Nada,estou sem fome.
Roberta comprou o seu lanche e nós fomos até o pátio da escola e nos sentamos em um banco.
A banda "Unbroken" estava fazendo um dos seus shows diários da hora do intervalo.
-Eles são muito bons. - eu disse para Roberta.
-A única coisa que estraga a banda,é a falsa da Bianca.
-Mas ela canta muito bem.
-E atua também.
-O quê?
-Nada.Pensei alto.
Após cantarem mais uma música,eles passaram pela gente e o líder da banda nos cumprimentou.
-Oi meninas.
-Oi. - Roberta e eu respondemos juntas.
O guitarrista da banda,apenas acenou com a mão e sorriu.
Eles foram embora,mas a Bianca fez questão de ficar.

Rehab-Capítulo 34

-Ela foi fazer uma viagem com passagem só de ida.
-Mais uma pessoa que tentou se matar.
-Não.Essa já morreu faz tempo.
-Que pena.
-Eu preciso beber água. - eu disse com a voz tremula.
-Eu vou com você.
Bebi um pouco de água.
-Você está melhor?
-Sim.
-Podemos voltar para sala?
-Podemos.
Voltamos para sala.A primeira aula começou.
Quando percebi a primeira aula já tinha acabado.E então a segunda aula começou.
Mais duas aulas se passaram e a hora do inervalo chegou.
-Vamos comigo comprar alguma coisa na cantina. - a Roberta me chamou.
-Vamos.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 33

Ela começou a se aproximar de mim.Meu coração acelerou e quando percebi eu estava suando de medo.
-Sentiu a minha falta? - a Emanuela perguntou com ironia.
-Pra ser sincera,não.
-Garota,como você consegue ser tão impetulante?
-Da mesma forma que você consegue ser sínica.
-Anahy,você sabe do que eu sou capaz de fazer.Se eu fosse você me comportaria um pouco melhor.
-Faz o que você quiser. - eu disse irritada.
Saí  da sala irritada e com medo,sabia exatamente o que ela é capaz de fazer e não quero experimentar.
Quando parei de andar e encostei na parece,percebi que estava tremendo.
Roberta me seguiu e percebeu o que estava acontecendo.
-É impressão minha ou você está com medo da Emanuela? - Roberta perguntou surpresa.
-Parece que sim.
-Mas você sempre foi tão confiante.O que aconteceu com essa garota?

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 32

Eu simplesmente não soube o que responder.
-Mas ele não corre risco de vida.
-Que bom.
Fiquei perplexa com o que tinha ouvido,o irmão dela era apenas dois anos mais velho que a gente e era uma  pessoa super alegre.
-Eu não entendo porque ele fez isso. - ela continuava muito triste.
-Ele pode estar doente.
-Será?
-As últimas vezes que eu o vi,ele parecia um pouco diferente.
-Eu percebi.
-Esqueci isso um pouco.
-Vou tentar.
-Agora vamos para sala.
Roberta se levantou da escada.E nós fomos para sala.
Alguns dos nossos colegas já tinham chegado e quem eu mais temia também já havia chegado.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 31

-Não precisa se preocupar,eu como alguma coisa na escola.
-Espero que sim.
-Você e suas desconfianças.
-Pega as suas coisas e vamos para escola.
Peguei a minha mochila e entrei no carro da Nathaly.
-Espera um pouco.Esqueci o meu livro. - ela voltou em casa para pegar o livro e depois voltou.
-Não está esquecendo mais nada?
-Não.
Fomos para escola.Uns cinco minutos depois nós chegamos.
Acabei chegando um pouco cedo,mas a Roberta já havia chagado e estava sentada na escada que dá acesso as salas de aula.
-Bom dia. -eu disse.
-Oi.
-Que carinha de sono é essa? -  Roberta estava com uma cara de sono horrível.
-Eu fiquei quase a noite toda sem dormir.
-Por quê?
-Meu irmão está internado. - ela  respondeu muito triste.
-O que aconteceu?
-Ele tentou se matar.

Rehab-Capítulo 30

Tomei meu banho e coloquei o uniforme.
Quando estava indo tomar café,encontrei Nathaly.
-Você vai querer uma carona para escola? - ela perguntou.
-Vou.
-Agora vamos tomar café.
Logo quando chegamos na cozinha,percebemos que os meus pais estavam conversando,mas essa conversa foi interrompida por causa da nossa chegada.
-Estamos interrompendo alguma coisa? - minha irmã perguntou.
-Não. - meu pai respondeu meio irritado.
-Tem certeza? - eu perguntei.
-Sim. - desta vez quem respondeu foi a minha mãe,que estava com a aparência calma.
Os dois ficaram se olhando de um jeito estranho,como se eles estivessem brigados.
Eu estava sem fome,não consegui comer direito.
-Não gosto quando você fica sem se alimentar direito. - a Nathaly ficou preocupada comigo por causa disso.

domingo, 8 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 29

-Se você não aparecer eu vou ir na sua casa e vou te arrastar. - ela respondeu brincando,mas eu tenho certeza que ela faria isso.
-Eu sei disso.Até porque não é primeira vez que você faz isso.
-Exatamente. - ela respondeu com convicção. -Então amanhã a gente se vê.Tchau.
-Tchau.Até amanhã.
Desliguei o celular.
Me deitei e fiquei pensando como eu havia me esquecido completamente das aulas de músicas.Era simplesmente um mês inteiro de ausência,isso não é nada bom.
O tempo custava à passar,liguei a televisão e coloquei no primeiro filme que estava passando.
Aos poucos meus olhos queriam se fechar.Achei melhor colocar o meu pijama,escovar os dentes e ir dormir.
Me deitei e esperei o sono chegar.
Acordei com o barulho do despertador,já eram 06:00h.Já era hora de levantar.

Rehab-Capítulo 28

-Quem é ele? - perguntou papai depois que o rapaz foi embora.
-Pai,para com isso.
-Eu já falei para ele que isso está ficando chato. - minha mãe disse.
Estava ficando chato ficar na sala sem fazer nada.Resolvi ir para o meu quarto.
Subi as escadas que dava acesso ao meu quarto correndo,como se alguém estivesse me chamando,foi quase isso,o meu celular estava tocando.Atendi o celular.
-Oi.
-Você vai amanhã?
-Pra onde?
-Para aula de música.
-Ah...Tinha me esquecido completamente da aula.
-Você vai?
-Vou.
-Menina,por que você sumiu?
-Alexandrine,esquece isso por favor.O importante é que eu apareci.
-Na verdade,você continua desaparecida.
-Tudo bem,mas eu prometo que vou aparecer.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Rehab-Capítulo 27

Pouco tempo depois estávamos todos nós reunidos à mesa.Minha irmã fez questão de se sentar bem longe de mim.
O clima estava muito tenso.Isso só mudou quando o celular da Nathaly tocou.
-Com licença. - ela disse se retirando da sala de jantar.
-Quem será que ligou para ela? - meu pai perguntou assustado.
-Deixa de ser chato. - minha mãe respondeu.
-Só estou curioso.
-Sei...
Alguns minutos depois ela voltou.Meu pai ficou olhando para ela.
-Pai,aconteceu alguma coisa?
-Quem te ligou?
-Ah...Então é isso.
Ela não respondeu o papai e a partir desse momento,o clima voltou a ser o mesmo.
Após o jantar fomos para sala.A Nathaly parecia estar esperando alguém.
Meu pai ficou um pouco inquieto depois do telefonema.
Quase uma hora depois a campainha tocou.Nathaly foi abrir a porta.Era um amigo dela.
Meu pai ficou ainda mais inquieto,mas a visita do rapaz não durou muito,ele veio apenas pegar um livro.

Rehab-Capítulo 26

Fui para sala.Meu pai estava assistindo jornal,a Nathaly estava na sala de jantar preparando a sua próxima aula e a minha mãe estava na cozinha ajudando a Berenice com o jantar.A única pessoa que eu não vi foi a Hilary.
-Vem aqui. - a Nathaly me chamou.
-O que foi?
-A Hilary está muito chateada.
-Eu percebi.
-Por que você não vai falar com ela?
-Eu não vou ir falar com ela.
-Faz o que você achar melhor.
Não respondi ela.
-Vamos jantar. - minha mãe apareceu e nos chamou para jantar.
-Vamos. - meu pai respondeu se levantando do sofá.
-Anahy,vai chamar a sua irmã.
-Não.
-Eu vou. - Nathaly se ofereceu para ir chamar a Hilary.
-Any,ajuda a Berenice a arrumar a mesa.
-Tudo bem.
Peguei os pratos,talheres e os copos e comecei a arrumar a mesa.