sábado, 20 de outubro de 2012

Rehab-Capítulo 149

Esperei a Alice sair, para poder dormir.
Fechei os olhos. E me imaginei no jardim da casa dela.
Realmente fiz o que ela falou, fiquei com os olhos fechados e quieta.
Depois de certo tempo, ouvi a porta se abrir, mas não quis ver quem era, continuei com os olhos fechado.
-Oi. - reconheci aquela voz. Era o meu pai. - Desculpa não ter vindo antes, para mim está sendo muito difícil saber que você está nesse estado e eu não poder fazer muita coisa.
Meus olhos se encheram de lágrimas.
-É difícil ver aquela garotinha, que eu vi nascer, sofrendo.Eu não consigo me conformar.
Pela primeira vez, em toda a minha vida, vi o meu pai abrir o seu coração, dizer o que estava sentindo.
-Quando eu te vi pela primeira vez, percebi o porque da minha existência. Ser pai de uma garotinha linda. Que chorou quando meu viu pela primeira vez, que fez eu me sentir um grande idiota, mas o idiota mais feliz do mundo.
Não consegui conter o choro.
-Fiz de tudo para ser o melhor pai do mundo, mas não consegui. - a voz dele começou a ficar trêmula. - Ouviu minha pequenina, eu sei que você está acordada.
Abri os olhos e olhei fixamente para ele.
-Você é o melhor pai do mundo.
-O papai te ama.
-Eu também te amo.
-Quero que você melhore o mais rápido possível.
-A Alice me falou que eu salvei  seu casamento. Isso é verdade?
-Sim.
-Me explica isso direito.
-Quando eu conheci a sua mãe, ela já tinha adotado a Nathaly e a Alice, mas eu sempre considerei elas como minhas filhas.
-Eu não sabia disso.
-Mais ou menos um ano depois do nosso casamento, eu iria pedir o divórcio, mas a Amanda me disse que estava grávida. Então, resolvi adiar o divórcio para depois, depois que vocês nascessem.
-Mas você não fez isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário